30 de abril de 2012

O Cúmulo da Perfeição

Todas as meninas, as loiras, as morenas, as negras e as ruivas, um dia já idealizaram o famoso "Príncipe Encantado". Pode ser que para umas ele tenha saído bem parecido com o Brad Pitt, e pode ser que ele tenha sido igual aquele seu vizinho gatinho de 12 anos que morava bem em frente a sua casa. Ele bem pode ter sido o menino da rua de cima, ou o Willian Boner. E pode ser que pra algumas o Prince Charming tenha sido aquele antagonista do garoto implicante que sempre te colocava um apelido horrível só pra ver quantas caras de furiosa você conseguia fazer em 5 segundos. Sendo assim, todos eram príncipes encantados, e nós, as princesas. Umas, eram guerreiras, e sempre salvavam o príncipe, outras, eram as belas jovens sendo salvas do dragão. De todas as formas, todas sonhamos. Por vezes debruçadas em nossos livros infantis ou assistindo algum desenho animado bem clássico, sonhamos, e na nossa imaginação, sapos transformavam- se em príncipes  e todas fazíamos pedidos ás estrelas: "Me atende, me atende, me atende". Um dia nós crescemos, O Brad Pitt se juntou á Angelina Jollie, o menino de 12 anos ficou gordo, o menino da rua de cima virou seu melhor amigo, o Willian Boner foi apresentar o Jornal Nacional, e o garoto implicante antagonista viu que você era bela, mas agora o esnobado era ele. É  a vida que segue, viramos mulheres e mandamos em nossos narizes de princesa, e vamos lá, vamos admitir, por mais que as coisas tenham o sabor cítrico da realidade, nós ainda buscamos a perfeição. O cúmulo da perfeição ainda nos persegue, e em cada tentativa, ele bate á nossa porta com as aspirações daquela menininha, aquela que debruçava nos livros de história. Quando estamos nos apaixonando, é a menininha quem aparece com a folha, e no risco do desenho, o príncipe em seu cavalo. Sabe, eu não li muitos contos de fadas, preferia as histórias dos gibis ou outros tipos de livros cheios de fábulas. Pra ser sincera, só ví apenas dois desenhos animados de princesas na minha infância, "Branca de Neve" e "A Bela e a Fera".  Minha mãe me dava "Moda Moldes" e "Cláudia" pra eu poder passar a tarde lendo, mesmo assim, um dia alguém me contou que se eu adormecesse por 100 anos, um príncipe poderia me despertar com um beijo. Pra quê me contaram? até hoje! Enfim, os anos passam e miramos nos pobres mortais ao nosso redor, toda perfeição de um Homem feito de tinta e papel, um boneco com falas projetadas e dublado por alguém de verdade, dependente de uma câmera pra se mover. Princesas, vamos dar aos nossos Príncipes imperfeitos o benefício da dúvida. Ninguém é perfeito. Por isso não se atenha muito á neurótica procura pelo belo e forte impávido colosso, a perfeição só existe na difusa troca de imperfeições, um casal é perfeito quando suas diferenças conseguem um perfeito e colorido vitral sem simetria alguma. Meu conselho? Tenha guardado dentro de si todo o amor possível e imaginário, por que ele sim é o vínculo da perfeição. Onde houver amor, haverá beleza, por que a verdadeira beleza está nos olhos de quem vê.

BJus BJus
Postar um comentário