24 de abril de 2012

A Odisséia do Molho de Chaves e a Terça Malvada Feira

4:50h- Manhã de terça feira, acordo tonta, como sempre. Me arrumo com má vontade, como sempre, arrumo a bolsa pra sair e procuro a chave do meu trabalho. Onde está? Procura debaixo dos travesseiros, dentro da gaveta de meias... a chave ficou no trabalho. Pode ser o azar da segunda que migrou pra terça? Pode ser. Mentalmente eu vejo o garçom anunciando: "No cardápio de terça feira, incluímos uma dose de azar". Obrigada por me avisar, se não fosse a confusão com a chave eu nem teria percebido. Perdi a condução. Tive que ligar pro chefe. tive que passar na casa do chefe pra pegar a chave dele, tive que entrar num elevador enjoada, ás 6:32 da manhã, enjôo ao quadrado. Tive que sair correndo para abrir a porta da academia, mil caíram ao meu lado, dez mil a minha direita, e eu não parava de pensar na hora que a terça feira ia acabar. Chegando lá. Como eu abro a gaveta do caixa com a chave trancada lá dentro? Liga pra outra moça que tem a chave, pede a ela a chave dela, ela manda o marido trazer por que ela pega mais tarde, e ri da sua cara de tonta, afinal, gente normal, não esquece a chave com um chaveiro enorme daqueles. Nota mental: "AINDA SÃO 7:00 DA MANHÃ???" Vinte angustiantes minutos depois, vi anjos caírem, duelos de titãs e pugilistas furiosos rosnando entre os dentes. Foram necessários 3 molhos de chave para inaugurar esta terça malvada feira. Quer mais? O dia passou (Aleluia). 14:50- Tarde de terça feira. Na hora de voltar pra casa, já longe da academia, me dei conta que tinha esquecido meu celular na gaveta do caixa...( tudo outra vez? Oh Não!)
Postar um comentário