30 de agosto de 2013

[ainda sinto o perfume dele] - estava escrito sem estar

Ainda sinto o perfume dele na minha pele... É só respirar fundo... Com o perfume vêm as doces memórias dos dias bons, dos dias de amor. Ele tinha todo cuidado em me amar todo dia, e nós nunca brigavamos, por nada. É pecado querer de volta tudo que eu tive? É errado querer meu chão, meu oeste de volta? Eu não sei. Mas toda vez que olho pra ele, da perspectiva de onde estou, (nos abraços dele), ainda vejo que podemos ser extraordinários juntos. Mas o amor é uma palavra estúpida no meio de todas as nossas coisas erradas. E as horas que passam não me deixam respirar... Os abraços se tornam prisões, os beijos, cadeias, as palavras grilhões... Quero sair sem perder... Quero perder sem precisar partir. Acho que não fomos feitos pra amar meu amor...Estava escrito sem estar... Tudo que temos e somos um para o outro... Estava escrito sem estar.
Postar um comentário