10 de agosto de 2013

Tive medo meu amor

É que me deu medo, você veio tornando todo dia ensolarado. Tirando tudo se estava nublado. E escolheu justo meus olhos pra dicipar as tempestades. No meio de todo barulho, de tanta gente, me deu medo da gente. Me deu medo de viver feliz sem as águas ensopando meu barco, meus sonhos e meus cabelos. No fundo tive sorte atracar num porto tão distante, também seguro. Me disseram que agosto venta muito, que é difícil navegar em Porto, e que a qualquer momento o dia pode virar noite. Mas não estou me importando. Você promete enxugar os óbitos, as mágoas e as perdas e as desventuras? Só assim eu navego feliz, sem desespedidas, sem tristezas, só alegrias, por favor meu amor ... é que eu tive medo, de ser feliz.
Postar um comentário