21 de setembro de 2013

Série: [ainda sinto o perfume dele] & ela disse adeus

[Ela disse adeus... ela disse adeus]... sentada no escuro, olhando pra janela, pensando bem no fundo, do poço que a espera.
Ela disse tanta coisa diferente, falou da vida, que era crente.
Que sua fé, sua covardia, no amanhecer no fim do dia..
[Ela disse adeus, ela disse a Deus].. Não quero ser um fragmento, parte do seu pensamento, quero você no fim do dia, saber de toda alegria..
[Ela disse adeus, e chorou,
já sem nenhum sinal de amor.
Ela se vestiu, e se olhou;
sem luxo, mas se perfumou.
Lágrimas por ninguém,
só porque, é triste o fim.
Outro amor se acabou.]..
Tantos erros, desenganos, acreditou em tantos planos.
Disse que casaria um dia, teria filhos, covardia...
[Ele quis lhe pedir pra ficar;
de nada ia adiantar.
Quis lhe prometer melhorar,
e quem iria acreditar?
Ela não precisa mais de você,
sempre o último a saber.]
O último banco de um ônibus é muito bom pra ir embora, é muito bom caso você precise de um minuto pra duas lágrimas. Você coloca uma música do Maroon 5 chamada "must get out", encosta sua cabeça no banco, olha pra janela, e eis o universo te dando 5 minutos de trégua num dia onde tudo pareceu passar do limite. Você já se sentiu assim? Cruzando limites? Limites perigosos pra você mesmo... Quem pode nos defender quando nós nos entregamos a quem pode nos ferir? Quem pode responder nossas perguntas, nossas dúvidas? E você canta o refrão.. entre um soluço e um adeus..
[eu tenho sido a agulha e a linha...
Tecendo figuras e círculos em volta da sua cabeça
Eu tento rir mas, ao invés disso, choro...] ..
quem vai fazer meu amor quando eu quiser amar?
[Ela disse adeus.
Agora a ação está feita
Enquanto você pisca ela vai
Deixe-a seguir com a vida
Deixe que ela se divirta um pouco]..
Não querido, nós não precisamos ligar pro que as pessoas dizem... Na verdade você nem precisa perder seu tempo pra me ligar, por que eu larguei meu coração numa pista de dança bem longe daqui. Pintei meus olhos de preto e a boca de vermelho e me olhei no espelho. Coloquei aquela blusa proibida, aquela de costas nuas que você disse que ainda rasgaria...
"o que vão pensar se eu não souber controlar minha mulher?
Não se importe querido, não sou mas a mesma, eu mudei você sabe, é o que a música diz.. "todas as formas de se controlar alguém, só trazem um amor vazio.."
[ainda sinto o perfume dele].
Eu te disse que assim era pesado pra mim, e você ainda falava a sua última frase antes do meu adeus: "Garota, não usa essa blusa nunca mais, por que eu rasgo ela da próxima vez...".
Tarde demais meu bem, não tem amanhã pra nós dois. O espelho é mentiroso, meus olhos brilham por causa da maquiagem, mas mamãe acaba de me perguntar por que eles estão vermelhos e cheios d'água... "alergia mãe... Esse tempo frio...".
Tudo que eu me lembro é de sempre ter uma boa desculpa. Estou destruída de algum jeito e despedaçada num lugar que não tem concerto...
Do canto, na janela ainda sentindo o perfume dele.. e de algum jeito pra sempre, daqui a pouco, e além..
[ela disse adeus].

(CURTA ESSE TEXTO TAMBÉM NO FECEBOOK: https://www.facebook.com/SerenaWest.diarystorm/posts/225015424322989)
trechos de música: Os Paralamas do Sucesso "Ela disse adeus" e "Saber amar"
Maroon 5 "must get out"
Juliane Schimel de Magalhães
Postar um comentário