22 de abril de 2015

Eu te entendo


Barulho de chuva em noite quente é como mertiolate que não arde em um machucado. E eu sempre digo essas coisas doidas que as vezes nem eu entendo. E eu queria mesmo falar sobre entender. Tem coisas e pessoas que são impossíveis de entender. Gente estranha, no melhor sentido da palavra, se é que a palavra tenha um melhor sentido. O fato, (e eu adoro os fatos), é que as circunstâncias (ou a burrice), as vezes obrigam as pessoas a tomarem atitudes que são incompreensíveis. Me vi numa situação dessas. O caso é que, pra quem está incompreensível, tudo na verdade se encaixa. Quem está de fora é que se perde. Mas tem momentos em que um pouco de incompreensão faz bem pra sociedade. Por isso eu não forço o tempo que existe entre agir e superar, pra quê forçar as coisas? Principalmente se são coisas que não se entendem. Não digo que o tempo dê clareza aos fatos, porque nem sempre acontece assim, mas digo que o passar do tempo nos mostra exatamente importância que tudo tem, sem precisarmos necessariamente entender as coisas e/ou as pessoas (filosofando apenas, rsrsrs). O tempo nos mostra que certas situações são muito pequenas perto de algumas pessoas, principalmente se as amamos. E algumas pessoas, infelizmente, ficam tão ínfimas quanto as situações que as envolveram. Deu pra me entender (rsrsrs)? Ninguém, por mais que estude, pesquise e conviva é capaz de entender a tudo é a todos por inteiro. As vezes precisarmos confiar mais um pouco naquilo e naquele que não entendemos. Nem tudo precisa ser fato, existem momentos que só pedem um pouco mais de fé e confiança.
Postar um comentário