13 de março de 2017

O casal romântico de Raul Cortês e Maria Fernanda Cândido na novela Terra Nostra- O Amor Tem Idade?



(Esse tema foi proposto pelo meu marido).

"FRANCESCO (Raul Cortez) - Imigrante italiano, há vários anos no Brasil. Casado com Janete (Ângela Vieira) e pai de Marco Antonio (Marcello Antony), tem uma situação econômica muito estável. Grande amigo dos pais de Giuliana (Ana Paula Arósio), protege a jovem contra tudo e todos em nome dessa amizade. Um homem correto, idealista, que adora a ideia de ter a moça como nora. Ao longo da trama, apaixona-se pela italiana Paola (Maria Fernanda Cândido).

PAOLA (Maria Fernanda Cândido) - Imigrante italiana, linda, cheia de vida, que se apaixona perdidamente por Augusto (Gabriel Braga Nunes), filho de seu patrão Altino (Odilon Wagner). Como a única chance que tem de viver esse grande amor é transformar-se em sua amante, não tem dúvidas e abandona a vida no campo para viver em São Paulo, onde ele lhe dá uma casa. No decorrer da história, vive um romance intenso com Francesco (Raul Cortez), por quem se apaixona."  

FONTE: http://memoriaglobo.globo.com/programas/entretenimento/novelas/terra-nostra/galeria-de-personagens.htm

(Vou pegar um gancho no assunto da novela, pra falar de amor, lógico, e já vou abrindo um parenteses, pra explicar, que eu vou falar de AMOR, e não de "relações"consideradas ilicitas e sujeitas a serem configuradas como crime, (como estupro, pedofilia, e etc. E coloquei "relações" entre aspas, por que isso não é relação, é crime, seja contra quem for, denuncie.), ok.)

A mulher, guardem isso rapazes, se apaixona pelo jeito que ela é tratada (bem tratada). Quer fazer uma mulher se apaixonar perdidamente? Seja gentil. E esse é o traquejo que o homem refina com o tempo (que é relativo), a não ser que tenha tido uma educação exemplar dentro do seu lar (não falei que era relativo!?). A novela Terra Nostra, lançada em 20 de setembro de 1999 (meu aniversário!), trouxe um assunto pra TV, muito recorrente, muito pertinente, e atual. Na época eu tinha 13 anos (?), e não estava habilitada pelos meus pais a assistir as novelas das 8h como chamávamos na época, no entanto, a novela foi reprisada em 2004, e eu já tinha idade, e assiti!! O assunto levantado era sobre o Relacionamento entre Francesco e Paola, que possuiam uma diferença de idade gritante. A personagem Paola, era apaixonada por um rapaz, chamado Gabriel, que relegou a ela o papel de amante, e a Paola num primeiro momento aceitou isso, tendo a presença picada de Gabriel, casado com outra, porém, na contra - partida, ela conheceu o velho Francesco, educado, gentil, protetor da bela Giuliana, e no decorrer da trama, Paola e Francesco, se apaixonam perdidamente, e sabem, acho que até eu me apaixonei pelo Francesco naquela época. Ele era sedutor, ele tinha algo encantador naquele sotaque Italiano mal feito. Foi ali que eu decidi, que queria um marido Italiano, e olha, ganhei na loto, porque meu maridinho é descendente de Italiano. Mas, voltando pra novela, o finado Raul Cortês, que pra mim, era o supra- sumo do amor da atuação masculina, interpretou o personagem com tanta paixão, que eu cheguei a achar que a Maria Fernanda e ele eram realmente um casal. Na famosa cena da banheira, eu pensei: "Não é possível, eles são casados", tamanha a intimidade da cena, e o entrosamento entre os atores, acho que depois deles eu jamais vi uma cena tão bonita, bem feita, real, parecia real. Mas aí você me pergunta: "E na vida real, existe relacionamento de amor verdadeiro (conjugal, sexual, marital, namoral, noival rs) entre pessoas de idades diferentes?". Gente, eu poderia citar vários, vários e vários relacionamentos de pessoas de idades diferentes, que eu acho que foram por interesse. Mas quem sou eu pra julgar alguém? Meu marido, quando decidiu casar comigo, eu estava no meio de um tratamento contra o câncer. Eu não sou ninguém pra julgar. Mas posso dizer, que tudo é permitido, se você se permitir( se você for menor de idade, consulte seus pais). Namorar alguém mais velho (homem ou mulher), significa, ter que ouvir comentários escrotos tipo: "ele é seu pai?", "sua mãe é tão simpática", e ser paciente, educado e solícito, pra "explicar", "essa pessoa é meu conjuge". Namorar alguém mais novo, significa que todas as outras pessoas (taalvez), vão olhar pra você como se você estivesse caducando e querendo viver uma aventura, e ter a lisura de não dar explicações,  se você não quiser, porque o que se deve sentir, se deve sentir, apenas, o que se sentem nem sempre se explica. Lidar com o preconceito de idade é bem complexo, porém, conheço histórias de amor lindas, de amor verdadeiro, que deram certo e estão dando certo, as famílias não se intrometem, ninguém fecha a cara, isso é lindo. Porque o amor tem essa coisa de compreender o momento do outro, a individualidade do outro. Não é porque você casou ou está com alguém, que você tem que se descaracterizar, não mesmo. Ser um, é uma junção de dois, é uma soma, onde os dois ganham e compartilham essa vitória. Quando a gente entende isso, que nosso parceiro tem gostos diferentes, tem uma vida social diferente, (que nós podemos incluir na nossa vida ou não), mas sobretudo quando entendemos isso, qualquer relaciomnamento funciona, seja um relacionamento como o meu, onde eu e meu marido estamos na casa dos 30, seja num relacionamento onde um tem 24, e o outro tem 52. O ser humano, dá amor, respeito e compreenção, quando ele aprende isso na infância, quando ele aprende com ele mesmo o longo da vida, onde ele vai descobrindo as linhas e os limites que o demarcam por dentro, e quando adulto, ele doa isso, quando ele recebe ou não, porque amar, exige uma dose grande de maturidade, e as vezes um velho de 90 anos, pode ser maduro, ou não, assim como um jovem de 15 anos pode saber mais de amor do que todos nós juntos, então, amores, vamos ficar com esta reflexão, vamos amar sem preconceito, vamos respeitar, sobretudo a forma como somos amados por quem nos ama, e a forma de amar das outras pessoas, e é como eu vivo dizendo, o amor verdadeiro, não falha e não machuca, fiquem de olho! 







Postar um comentário