22 de março de 2017

Sobre os amigos


O Amigo
Turma do Printy
Compositor: Alberto De Matos (xuxu)

"Eu juntei cinco letrinhas
Sobre a mesma linha
Eu achei um abrigo
Com A,M,I,G,O, formei a palavra amigo
Então perguntei prá Jesus,
Que é o amigo maior
O que quer dizer esta palavra tão doce
Foi então que O ouvi responder

O amigo é aquele que está ao seu lado
Na hora da sua alegria
Falando palavras reais
Que quebram a fantasia
Estejas no meio do ouro
Ou sentado na lama e no pó
O amigo é contigo e jamais te deixa só
Equando no vale da sombra da morte
Tiveres de passar
Ainda que muitos te deixem
Ele não te deixará
Fará da tua tristeza
Um motivo prá se entristecer
E só terá alegria ao te ver
Triunfar e crescer
Pois contigo está.

Foi então que pedi prá Jesus
Oh! Me diga onde o posso encontrar
Não medirei a distância
Irei a qualquer lugar
Ele sorrindo me olhou e falou
Não é muito fácil de achar
Às vezes, é só num momento de dor
Que ele se revelará"

Quando eu tinha 7 anos de idade, eu ganhei o disco que tem esse trecho de música, ganhei do meu pai, eu adorava ouvir histórias na vitrola, eu tinha uma vitrola só pra mim, e várias historinhas, tinha alguns contos de fadas (três porquinhos, chapeuzinho vermelho...), e tinha os discos que meu pai comprava, de histórias blíblicas, ou de histórias com aplicações bíblicas que era o caso do Printy. Eu amava ouvir as músicas e aprendi todas, e ainda hoje, sou capaz de cantar todas de "cór e salteado", (e eu fiz 30 anos kk). Mas eu quero falar de amizade. Aos 7 anos, a palavra amizade, me cativou na letra dessa música, e guardei ela, ( a palavra e a música), dentro do mu coração, sabendo que quando eu tivesse um amigo, eu faria tudo aquilo por ele, e muito mais, tudo que eu pudesse aprender sobre amor e amizade. E assim, eu fui crescendo, e fiz amigos na escola, na igreja, fiz amigos entre meus familiares, quandoo me tornei adulta com 27 anos, eu descobri (os médicos descobriram), um cancêr em mim, passei meses de cama, fraca, debilitada, doente, quem me visitava eram as pessoas dentro da minha família, que eram mais chegados do que suas nomenclaturas socio famliares supunham, eram meus amigos. Os amigos que fiz na igreja, (não digo todos), me julgarm da pior maneira, "ela está em pecado", "Deus a está punindo",  eles diziam essas e outras coisas dolorosas do tipo, insunuando que havia algo de errado com a minha honestidade e idoneidade. Os amigos que conheci na vida, um a um se afastaram, eu conheci o que era ser "amiga das horas certas", eu soube que eu teria amigos, apenas no dia entre uma quimioterapia e outra, no qual eu não estivesse enjoada ou cansada e pudesse sair pra encontrar esses "amigos". Que desilusão eu sofri. Primeiro com amigos que eram da igreja, que eu achava que eram "irmãos", irmão coisa nenhuma, porque se eles não puderem te julgar, no teu momento mais difícil, eles te esquecem, te abandonam. E a segunda desilusão, com os amigos que conheci na vida, porque muitos deles liam meus textos, onde eu contava as minhas agruras, e tudo que eu queria era que uma mão segurasse a minha, sabe, de verdade, não apenas num comentário no facebook. Eu nunca tive medo de estar ao lado das pessoas que eu julgava minhas amigas, então acho que não foi o medo que os afastou, eles simplesmente foram viver suas vidas, que por si só já eram difíceis. Não os julgo. Encontrei quem no meio de tudo, me fizesse, (além de me deixar solitária), o mal, mas mesmo tendo me afastado, não retribuí com mal, me afastei dessas pessoas, mas antes me certifiquei que estava fazendo isso em paz. E sabe quais as pessoas que foram as minhas amigas? Aquelas que só chegaram na minha vida, na hora da dor, como diz a canção acima, "Às vezes, é só num momento de dor / Que ele se revelará". E assim aconteceu, conheci poucas pessoas nesse período, mas foram pessoas que fizeram o papel do amigo, que senta ao seu lado na lama e no pó. Meu marido foi uma dessas pessoas surpreendentes, até banho me deu, minha mãe, como eu conheci minha mãe nesses 3 anos, meu Deus, minha mãe é uma grande mulher, meu irmão me alimentou, segurou minha mão, deixou claro pra mim, que naquele momento, ele era tudo que eu precisava e iria fazer tudo por mim, meu pai me pegou pela mão, foi minhas pernas quando eu não pude andar, foi minha visão quando ela estava turva, minhas tias me sustentaram, onde meu dinheiro falhou, o delas me socorreu, onde a minha fé falhou a fé da minha avó me segurou forte e me disse: "Nega, tudo isso vai passar, eu rezo por você sempre, tudo vai virar lembrança, e no teu caminho junto com o teu amado, só vai ter flores". Impossível escrever isso sem chorar, como eu sou grata a Deus, a Jesus Cristo, que até aqui foram comigo, fazendo tantos milagres, ai meu Deus, obrigada. Obrigada a minha família, pelos amigos que não citei os nomes, mas que Deus sabe quem são aqueles que me sustentaram por que ele os enviou, obrigada pelo marido que o Senhor me deu, ele lindo de todas as formas que eu sonhei (e muito mais). E digo o de sempre pra quem quiser saber, Deus nesses 3 anos, me fez plena em toda a minha vida, afortunada, agraciada e abençoada, Ele nunca perdeu o controle. 


Postar um comentário