14 de abril de 2017

Uma breve introdução sobre: "Lar" (e vai ter a parte 2, porque o assunto é bom! Aguarde e confie!))


Lar é pra onde você volta quando o mundo atira pedras em você. E ontem foi difícil entrar no meu lar. Achei que tinha perdido a chave de casa, e moro sozinha. Foi um dia difícil, têm sido dias difíceis, e tudo que eu queria era entrar em casa, tomar um banho e tentar dormir. No entanto, faltavam vinte minutos para meia noite e lá estava eu sentada na calçada, meio rindo, meio desesperada. Quando estava perto de chorar, eu me lembrei que só tinha colocado a chave num bolso diferente, sensação de alívio define o momento em que 5 minutos intermináveis me fizeram achar que eu não me aninharia na minha cama box conjugada e nova. Então, lar doce lar, morando sozinhos ou acompanhados, não há outro lugar melhor para estarmos, pois ele pertence a nós. Assim como nosso a nossa vida, independente da forma física, e não importa se estamos doentes, se somos negros ou brancos, a nossa vida é a nossa casa. Não entregue sua casa pra qualquer um que vai entrar no seu jardim e pisotear suas flores. Não entregue a sua casa pra uma pessoa covarde que pode demolí- la. Não deixe que a baguncem, porque sua vida pertence a você. Eu to escrevendo sobre isso por dois motivos, o primeiro é muito pessoal, e segundo é porque as vezes somos tratados com menos tolerância do que merecíamos. E bom, as vezes as pessoas atuam, apenas. E o pior de tudo é que além de atuarem mal, ainda são coadjuvantes da própria vida. Não, não vou pegar pesado e gostaria de dizer pra um velho amigo, (Paixão), que "eu não vou generalizar aqui, amor". Só dei essa introdução pra dizer o seguinte, não chute uma pessoa diferente de você, como se ela fosse um bicho, porque no fim da noite, ela também quer ser amada. E não estou debochando, as vezes é tudo que falta na vida de alguém.
Postar um comentário