3 de maio de 2017

Porque eu sou contra a maioria das campanhas "modinha", de prevenção ao Câncer, nas mídias sociais?


E com esta foto "desabafativa", eu inicio o papo:

"- Coração na time line, hashtag secreta, foto em preto e branco, desafio aceito, etc, etc, e etc.

- Juliane, você tem câncer, você pode participar dessas campanhas?

- Não, não posso. 

- Porque?"

Tenho câncer, um linfoma de hodgkin, diagnosticado há 3 anos, já fiz 4 tratamentos incluindo um transplante, em busca da cura, estou me encaminhando pra mais um tratamento agora, que será o 5, e que será paliativo, apenas pra controle, porque o remédio que eu preciso, ainda não está disponível no hospital onde me trato pelo SUS, e a disponibilidade dele vai depender de verba e licitação, pra chegar a mim. E estas campanhas nunca me ajudaram, nem com a autoestima; porque, qual é a graça, da pessoa postar uma foto preto e branca, ela sendo saudável, pra incentivar mulheres mutiladas por câncer (eu tenho cicatrizes de catéter em 3 lugares diferentes, marcas de procedimentos com agulhas nas mãos e braços e 2 cicatrizes de biópsias que as vezes olho, e eu me sinto o Frankeinstein)? E eu não vejo a lógica, dessas campanhas quando olho pra mim mesma, aliás, não vejo nem graça, pelo contrário, acho desrespeitoso e afrontoso. O câncer, como qualquer doença grave, (que aliás eu defendo as práticas humanistas em caso de qualquer doença grave), abala a nossa autoestima de um jeito pavoroso, a gente engorda por causa de remédio, fica inchada, com cara de doente, a gente fica sem força pra executar nossas tarefas diárias, a gente as vezes precisa que nos deem banho e comida, a gente fica careca, se descaracteriza inteira até se olhar no espelho e não se ver, e outra, tudo é doloroso, não existe procedimento sem dor, quimioterapia enjoa, você vomita, fica sem comer, baixa a imunidade, tem que tomar injeções, tomar remédios pós-quimio que vão te fazer mal, vão te fazer alucinar. Desculpem, eu não vejo como uma hastag, e uma foto, possam ajudar. Ainda mais me tratando num hospital conceito no estado do Rio, que é o INCA, um hospital público de ponta, que oferece uma gama de amparos ao paciente, onde eu vejo, o que as pessoas necessitam. O hospital possui o INCA Voluntário, onde pessoas saudáveis, interessadas em ajudar (não com hastags e fotos), podem exercer atividades, de visitas, brincar com as crianças, na distribuição de cestas básicas, roupas,  sapatos e utensílios, tem gente que vai no ambulatório de quimioterapia e toca violão pra quem está se medicando. O hospital oferece uma gama de assistências, porque entende que vão chegar ali, pessoas de outros lugares, outras cidades, e essas pessoas as vezes não vão ter nem dinheiro, nem onde ficar, isso é uma realidade diária, real, latente. E com tudo isso, eu fatalmente, não posso reconhecer uma campanha "modinha", como ato de combate ao câncer.
Eu admiro muito o "Outubro Rosa", tenho que falar dessa campanha em específico, pois eles não são demagogos, são pessoas que saem nas ruas, fazem passeata, O "Outubro Rosa", (link do site, pra conhecer melhor: http://outubrorosa.org.br/objetivo/ ), surgiu do instituto Neo Mama (link do site pra conhecer melhor: http://neomama.org.br/), e eles estimulam a participação de empresas, governo, e é muito legal essa interação, porque essa é a interação correta, envolver a sociedade no combate, conscientizar o governo a mandar verba pra ter exames periódicos, pra ter aparelhos de diagnóstico. Porque o quanto mais cedo for detectado, mais rápido se cura, maiores são as chances de vida do paciente. Só que a rapidez, em muitos casos fica comprometida pela falta de estrutura dos hospitais e pela falta de verba, e aí eu pergunto novamente: Como uma foto de alguém saudável, em preto e branco, sem qualquer legenda, ajudaria? Não ajuda. Eu enxergo outras formas de representar esta causa tão importante, que citei acima; passeatas, cobrar o que se deve de governantes. A "prevenção" (combate) do Câncer de mama e de qualquer outro câncer, que na verdade se chama "combate", depende de exames periódicos, aos quais deveríamos ter direito adquirido pelo SUS e/ou na falta deles, esses exames deveriam ser providos por clínicas particulares com subsídios do governo, sabemos que não é assim, infelizmente, sabemos que não temos uma boa situação no país no que se refere á saúde pública. Agora, em relação a palavra mal empregada: "Prevenção do câncer", se é que ela existe, pode estar no estilo de vida e alimentação, porém há muitas controvérsias quanto a isso cientificamente falando, o câncer pode existir por fatores internos, hormônios, condições imunológicas, fatores externos, por produtos tóxicos ingeridos, substâncias químicas diversas, o Brasil por exemplo é campeão no uso de 14 agrotóxicos, mais tóxicos do mundo, banidos em muitos lugares onde a tecnologia e as relações humanas são bem mais respeitosas e avançadas, e aí vem a pergunta: Ao invés de usar a sua influência pra postar uma hashtag secreta, porque não usar a sua influência, combatendo as causas abertamente? Se unindo e lutando junto com uma instituição séria, pra que o país dê pra você, que também pode precisar dos serviços do SUS um dia, um atendimento digno? Porque você não sai da frente do seu computador e da tela do seu celular, e visita alguém com câncer, levando um bom papo, um sorriso, vai na ala das crianças, brinque com elas, leve brinquedos, faça uma campanha pra arrecadar cesta básica, roupa, sapato, distribua, não queime a sua mufa, tentando prevenir doenças graves postando fotos. O câncer, num ser humano, é detectável através de sintomas, checkups e biópsias.

QUANTO AO AUTO EXAME DA MAMA, (acho legal relembrar): Façamos sim! É bom, mas precisa ser sempre, SEMPRE, UMA VEZ POR SEMANA, QUANDO ESTIVER MENSTRUADA, QUANDO NÃO ESTIVER TAMBÉM, TODO DIA, que é pra você conhecer sua mama de hoje, e a mama de amanhã, e mama de daqui há um mês, assim, se acontecer algo diferente com ela, você vai saber e vai poder procurar um médico que te diagnostique.

E tem todo um script pra fazer o auto exame, em 6 passos:

1- Em frente ao espelho:
2- Posicione-se em frente ao espelho;
3- Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
4- Coloque as mãos na cintura fazendo força;
5- Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
6- Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.

Detectou algo diferente, procure o médico!

Gaste tempo, na fila do SUS, vai demorar, nós sabemos, mas sua vida vale a pena, ou junte dinheiro durante o ano, e vá ao seu ginecologista, faça checkups, se cuide, se tiver plano de saúde, melhor ainda, não tem desculpas, cuide-se, sempre.

E como eu disse, o mais importante, não são fotos ou corações em murais, mas exames periódicos e cobrança de nós mulheres pelos nossos direitos aos nossos governantes! Esse país precisa nos reconhecer e acolher, como a mãe gentil que dizem que ele é. Quanto ás campanhas "modinha", espero ter explicado tudo com êxito e respeito. E pessoal, estou sempre aberta a cooperar, falar das minhas experiências com o câncer, ajudar nunca foi problema pra mim, o que eu não posso suportar, é que numa luta tão importante, as pessoas tratem esse assunto com fotos e hashtags, ou campanhas triviais, aí eu fico louca e a minha resposta pra isso, é:

"Não passarão",

Com muito carinho e respeitosamente,

Juliane Schimel, dona do blog Serena-West.


P.s.: DEIXO UM LINK DO INCA, PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE CÂNCER, ACESSE E SAIBA MAIS:

http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=83
Postar um comentário