22 de abril de 2011

Renovação da mente- Olhando para o inicio


O medo é bem mentiroso sabia? Ele vai, como de praxe, eliminando a confiança. E vou te contar é uma tarefa muito rude tentar tirar equilíbrio de uma estrutura comprometida. O coração fica apreensivo, desajustado, sem rumo. E como a gente descobre a solução? Encontrei um livro na minha estante ontem á tarde enquanto travava uma luta com meu quarto minúsculo, estava na tentativa de enfiar uma televisão dentro dele sem que fosse preciso que eu dormisse na sala, enfim, o livro fala sobre não temer, mas a essa altura dos acontecimentos, não temer já não era minha pior preocupação, mas o que não temer era minha meta. Ouvi numa pregação hoje de tarde, e o pregador disse que “o indivíduo na crise pira” concordo. No meio de uma crise tudo parece bem maior do que realmente é, e tudo fica bem distorcido também, parece tudo bem doentio e também parece que vamos nos afogar nas próprias lágrimas. “Meu Deus do céu” a gente argumenta, “porque isso aconteceu justo comigo?”, o que também não é lá uma boa questão, já que não reflete a realidade, mas aprendi outra coisa: Não ter saudades do que você não tem mais, e é disso que se trata esse particular seguindo em frente deste post, nós ás vezes nos esquecemos de quem nós somos em detrimento de uma vida focada nos acertos do passado, e isso também é ruim, porque ninguém pode viver á sombra dos troféus antigos, podemos olhar os troféus e nos motivar a maiores conquistas, mas por bem maior é bom olhar o passado e renovar a mente para os acontecimentos do presente, e eu havia abandonado essa mania de escrever sabia, não por falta de inspiração, mas principalmente por falta de tempo. Minha meta inicial era comprar um notebook e escrever os livros, os meses passaram, comprei o notebook mais esqueci de escrever. E nas palavras do pregador dessa tarde “Deus mandou Paulo escrever cartas, mas Paulo estava muito ocupado, então Deus deu um jeito de Paulo ter tempo, então, encerrado na prisão Paulo teve tempo de sobra pra escrever, depois Deus deu um jeito no habeas corpus...” achei engraçado, mas também pertinente, senti que nesse fim de semana eu recuperava uma parte importante de mim, a parte que tinha fé. Sim, a parte que vive na crise como todo mundo, mas que olha Deus vencendo a crise. Eu por um segundo, achei de verdade que me afogaria. Mas então me lembrei da letra da canção “solta o cabo da nau, toma os remos nas mãos e navega com fé em Jesus, e então tu verás que bonança se faz, pois com ele seguro serás”. E soltar os cabos da nau, tarefa minha, tomar os remos nas mãos, tarefa minha, navegar com fé (as cartas de navegação), tarefa minha. Os ventos soprando a nau e a bonança, tarefa de JESUS. Não vou dizer que seja uma tarefa simples, às vezes soltar os brinquedos preferidos é uma tarefa muito complexa pra uma criança pirracenta. Como você muda da noite pro dia sem parecer desequilibrada mentalmente?  Como mudar suas crenças? Como mudar de emprego? Como voltar a ter inspiração? Sabe, eu não sei muito bem, como escritora não posso mentir pra você, mas não vou dizer que seja impossível, não vou dizer que você precisa de algo parecido com “comer, rezar e amar”, mas também não descarto a hipótese de que talvez tenha que fazer uma intervenção na maneira como você vê as coisas. Talvez você precise como eu, voltar ao início e enxergar a menina boboca, antes do segundo grau, a menina que acreditava em coisas tão simples, mas tão fortes ao mesmo tempo. Você lembra que na bíblia Jesus curou um cego só que na primeira e intencional tentativa ele voltou a ver, sim, mas enxergava os homens como se fossem árvores? Por muitas vezes eu dei voltas nesse texto procurando algum significado transcendental que me fizesse dizer “oh! Nossa! Uau!” não consegui mais do que essa certeza: Nós às vezes estamos tão cegos que nossa fé só faz enxergar as coisas do ângulo mais absurdo possível! Mas daí você se pergunta: “é possível que minha fé possa ser usada pra alguma coisa distorcida?” Calma lá, não vou falar nenhum absurdo, lógico que a fé não serve pra ver nada distorcido, isso seria uma estúpida heresia. Mas deixe me pegar essa minha bíblia que esta comigo a tanto tempo que acho qualquer coisa nela, de palavras sagradas á rabiscos bem intencionados, de papéis de bala a pedaços secos de flores, e deixe me viajar no mundo de Cristo. E após alguns minutos achei o relato da cura do cego de Betsaida. Qual a relevância de levar o cego pra fora da aldeia Jesus? E por Deus, qual a relevância de cuspir lhe nos olhos? Então o homem passa a ver árvores ambulantes, e Jesus lhe toca novamente e ele olhando firmemente, começa a ver ao longe e a todos distintamente. E fato intrigante é que ao invés de Jesus mandar lhe pra aldeia de volta, ele manda que o homem vá pra casa e não entre novamente na aldeia. Sabe o que eu entendi? Distintamente, o homem de visão distorcida não devia voltar para o lugar onde todos já tinham uma pré definição de quem ele era: o mendigo que cegueava, ou melhor o cego que mendigava. E mais, ele não deveria voltar para seu passado, pois ele ficaria tentado como o povo no deserto a achar era muito mais cômodo estar no cativeiro comendo bife com cebolas! O cara ex- cego, ia achar mais prático mendigar, do que procurar trabalho! Muitas vezes na vida, ao invés de ver o caus como um atalho pro milagre, nós apenas enxergamos o borrão e lamentamos nosso estado deplorável. Esse homem foi colocado na bíblia, não como um exemplo de fracasso e mediocridade, mas como exemplo pra mim que preciso enxergar as coisas corretamente e pra você que precisa ver além das árvores ambulantes. Essa semana na sua vida pode muito bem ter sido marcada como a semana em que você coloca tudo a perder, mas Jesus Cristo veio a nós com seu cuspe que não tem nada de extraordinário a fim de nos restaurar a visão da vida, não com floreios e ilusões vagas de onde você vai estar em quatro meses, mas a visão da vida com seu cotidiano banal e simples, com suas pessoas normalmente e perfeitamente imperfeitas, mas que não deixam de ser lindas por isso, a vida cheia de dificuldade, mas a certeza de que os ventos impulsionadores de velas ainda estão em poder Dele, nosso Jesus. Posso, mesmo que impulsionada pela dificuldade, te oferecer um benefício ímpar? Jesus nos convida em suas palavras e trocar o fardo com ele, seja o fardo das dúvidas, das desconfianças, das tragédias, o fardo do desespero, o fardo das expectativas, do perfeccionismo... Ele diz: “o meu fardo é leve e o meu jugo é suave”. E não me canso, como Juliane, não me canso de recorrer a ele toda vez que agarro meus fardos pesados demais pra minha humanidade e me canso. Oração simples essa, rápida também: “Senhor, não agüento mais, é pesado pra mim, não posso segurar por mais tempo, acho que vou fracassar, mas o Senhor sabe de todas as coisas, troca comigo o fardo e faça a tua vontade, que é boa, perfeita, agradável e não acrescenta dores.” Me agarrei nisso, assim como em suas mãos salvadoras, e fiz jus ao que se diz: “basta que cada dia tenha o seu mal”, passei a acreditar que precisava de mais graça do que imaginava, então passei a adorar com mais fervor, a orar com mais freqüência, aprendi a colocar ambientes da minha vida diante do altar, lugares onde o jardineiro não entrava, lugares assolados e mofados, cômodos dentro mim que nem eu desconfiava que estavam tão sujos, passaram a ser lavados pelo sangue de Jesus, então entendi mais uma vez Isaias 53: “ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si”. Lá na cruz enquanto era tripudiado, quando ficou em absoluto silêncio, imagino o que não posso afirmar ser verídico, pois trata se apenas de uma suposição, mas imagino que Jesus tenha ouvido de satanás “ei, Jesus? Você não cometeu pecados? Tem certeza? Então porque agora você é punido no lugar desse estuprador? – e apontando no meio da multidão Jesus avista o pecador- Então homem santo? Você não pecou? Como então você é crucificado no lugar desses homenzinhos medíocres que você chama de filhos de DEUS! Está sentindo a dor daquela moça, ela foi abandonada no altar, está sentindo a dor daquela mãe? O filho dela está sendo crucificado! Está vendo aquele dono de empresa que sonega impostos? Vê o homem infiel a sua esposa e o filho que matou seus pais? Você agora carrega o que cada um deles fez, você foi pesado e medido e achado inapto! Justinnho como aquele jovem da favela”. “Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras fomos sarados.” Narro com uma boa medida de fé o que vou escrever agora, ele pega a cédula que de alguma maneira era contra nós, ele analisou a? Ele a estudou? Não, ele a sentiu, em suas costas, como chicotadas, em suas mãos e pés como cravos, em sua cabeça como espinhos, em seu viver, e sentiu até a morte. “e, quando estáveis mortos nos seus pecados e na incircuncisão da vossa carne,vos vivificou juntamente com ele, perdoando- vos todas as ofensas, havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando- a na cruz.” E o que ele fez? Um breve silêncio ele fez um breve silêncio dentro do túmulo, ele fez silêncio em respeito a todas as vezes que recorreríamos a ele desesperados no meio da crise e ele teria de nos lembrar quem nos tornamos após a sua cruz. O que ele narra após? Ele narra o seguinte, em um lampejo rápido ele pega a cédula, risca do meio de nós, e triunfa em si mesmo dos principados e potestades e tira deles tudo que eles achavam que era seu. Jesus não toma seu lugar no trono do mundo antes oferecido por satanás no capítulo 4 de Mateus, Jesus não amassa a cabeça do diabo, ele não faz nada de extraordinário aos nossos olhos de cegos de Betsaida, mas ele nos tira das mãos do inferno e nos transporta para o seu reino. E mais, ele nos isenta de qualquer julgamento cultural, racial e territorial, dizendo que somos parte do corpo de Cristo, santificados para salvação, e que não devemos nos deixar dominar, pelo mundo. Por isso Paulo nos alerta: “não vos conformeis com este mundo, mas transormai- vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Uau! O texto é digno de um aplauso seguido de um brinde. Não preciso me conformar com a crise, preciso dela pra crescer, e tem mais, adiante no capitulo 14, Paulo narra que se um faz diferença de dia e dia e outro julga igual todos os dias que ele faça isso mas esteja inteiramente seguro de seu ânimo, e diz que o que come para o Senhor come, por isso dá graças, e o que não come idem, no fim compreendo que não importa a situação desde que eu esteja certa que Deus é comigo, que sou feliz com ele independente da situação, e que estou aqui pra ter fé e é na medida da minha fé eu vou vencer! “Deus o recebeu por seu” Paulo alerta, não importa a maneira que você veste, come ou se você crê que legumes são melhores que carnes, se você prefere verde fluorescente ao invés de azul marinho, o importante no fim das contas é que nenhum capítulo da sua vida será tão extenso e penoso que não mereça um final. O seu ânimo pode determinar sua fé, que te levará a sua vitória, e retorno ao princípio da nossa conversa, o medo. Ele é bem mentiroso sabia? Ele diz que vai abalar sua confiança, que não vai deixar você vencer, diz que é permitido apenas chorar e lamentar, mas deixe me dizer o que a bíblia me falou sobre não temer, sim, no livro que achei no meu armário, o titulo do livro é “o melhor presente”, também acho, o melhor presente que você pode dar a alguém é o conhecimento, há muito tempo que não presenteio ninguém, então comecei por mim mesma, porque para inspirar os outros temos e estar inspirados!  O livro começa dizendo que há na bíblia 365 expressões “não temas”. Uma para cada dia do ano, engraçado, e o ano bissexto? Imagino que o ano bissexto seja aquele dia que a bíblia narra como dia que o choro acaba. Aquela famosa manhã em que a alegria vem. Porque você já viu alguém apavorado de medo sorrir? “Opa, to com medo dessa pinta ser um câncer! Que alegria! Acho que vou dar uma festa!” ou então “meu Deus do céu! Ahahah (são gargalhadas”), aquela cobra vai, me picar, coisa linda!” não se vê essas coisas por aí, mas vemos todos os dias, o pastor angustiado, seu coração está partido, sua igreja participou ativamente de uma enchente, ele julga ter perdido tudo, suas ovelhas desertando por todos os lados, agora ele conta com a ajuda de gente que sempre o criticou, onde estão as ovelhas sorridentes? Estão cuidando de seus pastos, viraram autônomas, não querem um pastor, elas se formaram na faculdade do “estou sem tempo para Deus porque minha vida é mais importante”, a faculdade do mundo nos deixa birutas sabia? Mas não pára por aí, porque não é só isso o que vemos. Ali na calçada da igreja, vemos a jovem sentada, ela conversa ao celular com o namorado, há lagrimas de desespero em sua face, ela tem medo, não que haja fundamento, e depois ela verá que não há mesmo razão pra tanto desespero, mas o medo está mentindo pra ela. Vemos a mãe desesperada, seus olhos não choram mais por causa do filho drogado, o que ela diz é apenas um resumo do que queremos ver e não apenas ouvir: “só Deus...”, ainda vemos um penúltimo quadro, uma ovelha fiel, numa cama de hospital, ela não entende porquê, nem Deus revelará suas intenções, e ela não aparenta, mas sente medo. O último quadro nos mostra outra moça, ás portas do casamento tendo que lidar com a radioterapia, nada grave o médico diz, mas ela tem medo. Ao fim da história alcançamos o favor, é sempre assim, por mais que as vozes do mundo não sejam reconfortantes como travesseiros de penas de ganso, por mais que o medo nos assalte, por mais que as tragédias nos peguem de surpresa. O caus  sempre ganha a aparência de bonança, porque a diferença dessas pessoas para o resto do mundo é que elas, mesmo sentindo medo, resolveram confiar e ver além das árvores ambulantes. O pastor mesmo tendo medo, arregaçou as mangas e trabalhou com fé, o resultado foi que mesmo submersa sua fé,assim como sua igreja, permaneceu intacta. A moça da calçada parou de ouvir o medo e começou a ouvir com fé, a orar com fé e a crer que a oração do justo, pode muito em seus efeitos. A mãe desesperada verá a glória de Deus porque manteve a fé. A ovelha fiel passará por uma cirurgia, terá sua carne cortada, mas não a sua fé, podemos perder partes de órgãos, ou até órgãos inteiros, mas ela acredita que a falta de um rim, ou das pedras dentro dele, não afetará sua fé. A última moça terá um vestido lindo e uma bela cerimônia na igreja que foi inundada, porque tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus e porque uma sessão de radioterapia, não vai diminuir sua fé. Tudo depende da maneira como encaramos as calamidades, às vezes Deus está nos mostrando com quem podemos cooperar, ou pode ser que ele esteja dizendo, chegue mais perto, deixe me vê- lo, pode até ser que ele faça na sua vida algo que ninguém saberá porque, mas ao olhar a cicatriz você lembrará de onde ele te livrou, pode ser que de tudo sobre apenas um testemunho que ganhará multidões, e pode ser que ele esteja apenas testando a tua fé. No fim da jornada, tudo não passará de vitória. Numa frase que eu aprendi a dizer no segundo grau, pra justificar minha falta de fé nos propósitos de Deus a pessoa dizia: “sonhar com ilusão é viver em vão” não sei quem disse isso mas ele está coberto de razão, parei de sonhar com as ilusões desse mundo e coloquei minha fé em Deus. Á propósito a menina da calçada era eu, e quer saber do que mais, meu namorado naquela noite não me confortou, também pudera, não era de conforto que eu precisava, eu precisava olhar as verdades de Deus e ter fé na coisa certa, então ele disse algo que vou levar pra vida, será uma daquelas coisas que dificilmente vou me esquecer: “Deus não sabe de todas as coisas? Nós podemos lutar contra a vontade de DEUS? Então deixa que ele faça a vontade dele...” É isso aí meus queridos, não podemos lutar contra a vontade de Deus sobre nossas questões mal encerradas, mas podemos ter fé e contar com a graça toda vez que necessitarmos pois ele nos garantiu isso na cruz quando derramou seu sangue e nos tomou para si. Apenas confie e siga em frente! Olhe para início de tudo com a determinação de quem aprende,viva hoje o que está ao seu alcance, esqueça o resto e lute pelo futuro. Complete a carreira e mantenha a fé!

Essa é minha mensagem de boa Noite p você nesta Sexta Abençoada feira!
BJus BJus
Postar um comentário