10 de agosto de 2013

[Série: ainda sinto o perfume dele]- Erros

Já se olhou no espelho hoje? O que você está fazendo a si mesmo? Perdendo a cabeça em cada erro... O brilho das estrelas te confundiu e agora tudo parece... Bagunçado, sem concerto. Qual é a verdade sobre quem você é? Está tudo bem, as vezes é difícil seguir o coração. É difícil ceder, é difícil achar o meio termo, a conciliação. Olha cara, não tem problema tá, quem é do bem sabe que você não fez por mal, afinal, não é justo te culpar pelo teu passado quando nem você poderia controlar as coisas. Acontece tá? Coisas ruins também acontecem com pessoas boas. E quem é do bem, pode até ficar com raiva de você, mas nunca vai te deixar sozinho, nunca vai te abandonar. Abandono é uma palavra feia não é? Eu tenho umas duas ou três histórias pra te contar sobre isso sabe... Mas cara, eu não te abandonei, nem por um minuto pensei em te deixar... Se você apenas... se a vida te bate com uma mão, ela bem pode te consolar com a outra. Mas tem gente que de tanto apanhar da vida tem aço no peito, chora sozinho, dói no silêncio; cara, teus olhos não me deixam ficar enganada. Eu sei que dentro de ti tem um fogo muito mais nobre que o aço que te deixa frio. Hoje há apenas uma sala tranquila entre nós; na verdade, você não sabe por onde andei depois de tudo amor, eu quis ser fria como uma pedra. Queria não sentir cada gota dessa chuva... Mas eu sei que você se olhou no espelho hoje, sei que por 5 segundos pensou em mim e balançou a cabeça pra me afastar, talvez, sorriu, lamentou e voltou pra pra tua vida. Talvez o aço em nós seja mais forte. Quem vai saber? Quem pode prever? Quem pode apagar os erros? Quem pode se arrepender? Eu vi seus olhos frios, eles dizem exatamente o que você quer dizer, por que você é esperto, já pegou a manha, mas, não, seus olhos queimam, do lado que eu conheço, do lado de dentro, eu sei o que eu vi outro dia. Eu vi além do aço, senti além do frio da tua pele... E tudo o que eu sei é que tá tudo bem cara... Não vou contar pra ninguém o que eu vi. Vou guardar esse fogo com o meu e renascer do que te perdi. Vou inspirar fundo dentro de mim, [ainda sinto o perfume dele], e nunca mais vou deixar as suas palavras me jogarem no chão, talvez eu me olhe no espelho, e quando eu fizer isso, talvez fique tarde... Tarde demais. E talvez e me resolva por partir, pra muito mais além que a distância de um sorriso ou de uma sala tranquila... Já se olhou no espelho hoje? O que você está fazendo a si mesmo? Perdendo a cabeça em cada erro...
Juliane Schimel de Magalhães.
Postar um comentário