4 de setembro de 2016

Se você escolher ler esse texto, é bom que tenha estômago.

Tendo em vista tudo que eu venho passando já há 1 ano e seis meses, sobre o câncer, eu acredito ter visto, e sentido, mais coisas que muitas pessoas que aderem campanhas de prevenção ao câncer na internet e outras mídias. E assim sendo, a última moda das fotos preto e branco, me deixou muito aborrecida, mesmo sendo prevenção, porque não foi feita de maneira clara, postar uma foto com uma legenda irrelevante, não é campanha, postar uma foto, não é campanha, não contra o câncer, e eu vou me explicar, porque tudo sobre câncer, quando você fala em diagnóstico, precisa ser claro. Eu fiquei me perguntando todos esses dias, se as pessoas que aderiram essa campanha, fizeram algum exame periódico em algum hospital/clínica, ou auto exames que são preventivos desde que que você não ache um nódulo. Porque o certo, o correto, é fazer exames hospitalares periodicamente. Eu não posso dizer que tenho câncer, porque achei um nódulo palpável em alguma parte do corpo. Existe um processo inteiro que envolve consultas médicas, exames de sangue e biópsias, que vão dizer se um nódulo é um câncer ou não. Quando eu procurei assistência médica, porque tinha nódulos no meu pescoço, eu passei por três médicos diferentes, até chegarem a conclusão de que eu precisava de uma quarta médica, que era uma hematologista, com ela, antes da biópsia, foram dois meses de consulta semanal. E sabem, meu estado clínico era visivelmente crítico. Existe um protocolo sobre o câncer, que diz que o paciente suspeito da doença, deve ser diagnosticado e entrar em tratamento em até 60 dias. E eu posso dizer pra vocês, sem sombra de erro, que isso existe para quem tem dinheiro. Meu diagnóstico demorou 4 meses, e eu depois desses 4 meses, foram mais 2 meses pra iniciar a quimioterapia. Hoje, a espera por uma biópsia, pode demorar até seis meses, dependendo do nível de importância que o médico der para o tratamento, o mesmo vale para cirurgias de remoção de tumores com metástases. Eu não estou vagando sobre estatísticas, isso é o que eu presencio todos os dias no hospital. A cidade de Petrópolis, não tem um centro oncológico que trata todas as doenças do câncer. Quando eu finalmente recebi o meu diagnóstico de linfoma pelo hospital Alcides Carneiro, que aliás devo ressaltar, não teria me atendido com urgência se não fosse a intervenção de um vereador, sem a intervenção dele, minha consulta inicial teria demorado quatro meses, enfim, quando recebi meu diagnóstico inicial, fui encaminhada ao CTO, debilitada, esperei por 6h até que fosse atendida por uma médica num encaixe. Dentro da sala dela, ela muito rude, me disse a verdade nua e crua: "Se você optar por se tratar em Petrópolis, eu posso te passar quimioterapia, porém, aqui eu não tenho PETSCAN, e não tenho como fazer o exame Histopatológico da sua bioópsia pra te dizer qual é o seu tipo de linfoma, eu posso até te passar uma quimioterapia, porém, sem saber se é a medicação certa, se eu fosse você, ia pro INCA, no Rio, se você ficar em Petrópolis, você vai morrer". Pra quem não sabe, o PETSCAN, é uma tomografia especializada, que usa o flúor como contraste, e esse exame vai além da tomografia, o PETSCAN capta a atividade do câncer, dentro de um tumor. E Petrópolis não tem. E eu me pergunto, como se tratam os doentes de câncer em Petrópolis? COM FOTOS PRETO E BRANCO, NUM MURAL DO FACEBOOK? Petrópolis tem 400 mil habitantes, digamos que 150 mil sejam mulheres, como essas mulheres se viram com apenas 1 mamógrafo gratuito? Quem pode pagar por uma mamografia semestral ou anual? Não vamos ser hipócritas. Escrevi tudo isso pra corroborar a minha luta, de que palavras, NÃO PRESTAM PRA NADA, NA REALIDADE DE QUEM TEM CÂNCER, E NA REALIDADE DE QUEM CUIDA DA PRÓPRIA SAÚDE. O que adianta uma campanha pra conscientização da prevenção, se não existem meios preventivos efetivos? Ou se quer meios rápidos e eficazes de diagnóstico? E ainda caímos em outro paralelo, não adianta você ler sobre uma luta, uma simples leitura, não te torna alguém experiente. E ainda outro extremo, ninguém iria pinta o rosto com tinta preta pra conscientizar a sociedade, de o negro precisa ser respeitado, até os gays fazem passeatas pra terem seus direitos respeitados, as feministas também se representam e muito bem, e todas essas pessoas não admitem que outras vocês pouco efetivas, manchem as suas causas. Então eu me pergunto: PORQUE EU FUI TACAHADA DE "CAUSADORA DE CASO", "FAZEDORA DE MIMIMI, QUANDO CHEGOU A MINHA VEZ DE REPRESENTAR A MINHA CAUSA, E DIZER QUE ACHEI UM ABSURDO UMA VOZ SEM NEXO, QUE FOI ESTA CAMPANHA DA FOTO PRETO E BRANCO, DIZENDO PRAS PESSOAS SOBRE UMA LUTA, DE FORMA ERRADA. Depois que eu e o meu noivo nos expressamos, li algumas postagens de pessoas que de doeram dizendo: "o mural é meu e eu posto o que eu quiser". Sim, o mural é seu, você posta o que quiser, MAS A LUTA É MINHA E EU DEFENDO A MINHA CAUSA COM UNHAS E DENTES. E a minha luta não é na internet, tentando mostrar que eu sou uma boa pessoa, postando foto de causa que eu não conheço, a minha luta diária, é por mim e por milhares de pessoas com câncer, que são abandonadas de todas as formas. A voz da nossa causa ainda não é forte como a voz do movimento negro, feminista ou gay, mas ela vai ficar forte, no que depender de mim, que sempre lutei pra tudo na minha vida, por tudo que eu estou passando, minha história não vai ser a história de uma guerreira de venceu o câncer, minha história é a história de alguém que dá voz a quem não tem.
Postar um comentário