24 de janeiro de 2017

A delicadeza (e afins) não tem nada a ver com os novos tempos.

Fui no médico essa semana, motivo: praxe. Me queixei de dor no ciático, e ele me ignorou. Eu disse que estava doendo muito, e ele fingiu que não ouviu. Eu disse que doía da lombar até o pé, e ele não se interessou. Então eu disse que eu tinha dormido de mal jeito, e ele me olhou por cima dos óculos como quem quer dizer: "Realmente, moça, não tenho nada a ver com isso", e o que ele disse a seguir refletiu todos os pensamentos dele naquela hora: "Vou te passar um anti inflamatório e você toma por dois dias que passa.". Dois dias passaram, o ciático ainda dói, e a falta de delicadeza do mundo ainda me afronta. Outro dia, eu estava passeando pelo Facebook, quando vi uma postagem da TNT, falando que naquele dia era aniversário do Jim Carrey, eu gosto muito do Jim, dos filmes dele, a TNT enfatizava no texto, o seguinte: "diga qual é o melhor e o pior filme do Jim, na sua opinião...", eu respondo que tirando Debby & Loyde 2 (que eu queria ter o poder de desver), eu adorava todos os outros que já tinha assistido. Horas passadas, um cara respondeu ao meu comentário com a seguinte frase: "Não concordo,  Debby & Loyde 2, é dos melhores filmes dele, na minha opinião". Quando eu li, fiquei me perguntando, porque o cara não deu a opinião dele num comentário normal, como a maioria das pessoas fizeram, porque ele veio "não concordar" com a minha opinião, se ali o que fazia diferença era "ter uma opinião só sua"? E é assim que o mundo está girando. A tecnologia e a acessibilidade deram voz a pessoas que antigamente (há 6 anos atrás), não tinham voz, e isso é uma maravilha, mas junto com a turma legal, que comenta coisas bacanas e engraçadas, veio uma horda de bárbaros raivosos, sedentos de sangue virtual, as pessoas não se contentam em criticar, elas querem brigar, sair por cima, partir pra cima, derrubar páginas, perfis, arruinar carreiras. Como nos velhos tempos, onde tudo era rebuscado, assim se comporta o ser humano, com a mesma brutalidade de 20 milhões de anos atrás, só mudou a maneira como as coisas são feitas, os métodos evoluíram juntamente com todo o resto, exceto o comportamento humano que permanece o mesmo, ficamos sofisticadamente brutais. Quando eu leio algo nas mídias sociais que foge da minha compreensão humana de delicadeza e respeito, eu entendo que se continuarmos assim, não iremos muito longe, e é triste isso, porque as pessoas estão se trancando cada vez mais, dentro de uma liberdade de expressão falsificada. A solução, não é simples não. Dessa geração poucos salvam, cabe aos que salvam, reproduzir seu fino trato, na esperança de as próximas gerações melhorem. 
Postar um comentário