4 de maio de 2017

"Série: Perguntas e Respostas tiradas do Yahoo- "Já perdoou uma pessoa porque a falta que ela fazia era maior que o erro que ela cometeu?"

 "Já perdoou uma pessoa porque a falta que ela fazia era maior que o erro que ela cometeu?"

Já perdoeei sim, e por esse pretenso motivo de sentir falta. E não valeu a pena, com nenhuma pessoa que eu pratiquei isso, pra manter elas por perto, muito porque eu acho que o ato da gente perdoar alguém, é algo feito pra que nós nos libertemos de um mal que ficou preso no nosso coração. Eu sempre digo, que perdoar alguém, é libertar a si mesmo, porque as vezes a pessoa que comete um erro conosco, não entende a dimensão do que ela praticou, como sendo um erro, as vezes pra ela é normal, ela não consegue se ver no lugar de quem cometeu um erro, e isso dificulta muito na hora de pesar o relacionamento com a pessoa, porque a gente perdoa, mas a pessoa por não se arrepender, não achar que estava errada, ou se fazer de vítima, ela acaba perdendo o sentido de referência na nossa vida, como amigo, como conjugue, etc, e eu pessoalmente tenho um problema sério com isso, porque eu funciono com referências, eu sou um ser humano buscando um aprimoramento diáriamente, e ainda não tenho esse mecanismo de perdoar e querer continuar convivendo sem a referência do bem. As vezes a pessoa pisa na bola de um jeito cabuloso, que não dá pra mim, e também já me aconteceu o contrário, eu cometer o erro e a pessoa querer se afastar, pelos mesmos motivos que eu citei, porque eu não achei que estava errada, pelos meus pontos de vista, e não adianta, a gente tenta seguir em frente, mas nunca é a mesma coisa, eu acho que só volta a ser a mesma coisa, quando é alguém que você ama muito profundamente, tipo uma mãe, um pai, sua avó, e em certos casos, conjugues.

Mas tem o ponto de vista comum, que eu preciso abordar, já que abordei primeiro como eu vejo a questão. Vamos lá:

 "Já perdoou uma pessoa porque a falta que ela fazia era maior que o erro que ela cometeu?"

Tem um versículo na bíblia que diz que é mais fácil manter um amigo (com certeza), do que tentar reconquistar ele após um dito problema, e esse versículo está muito correto na sua colocação prática. Quando o perdão parte de um só lado, e o outro lado fica todo arrebentado, é muito difícil seguir em frente. O perdão pode ser unilateral, ou seja apenas de uma pessoa para outra, ele precisa e deve, é saudável que seja praticado por todos os envolvidos, os que falaram e os que ouviram, mas acontece as vezes de vir apenas de um. Quando o perdão é unilateral, você perdoou alguém que te fez mal, não importa se você vai conviver com ela ou não, se ela vai te perdoar ou não, isso é algo pessoal dela, a sua busca precisa ser a sua paz interior, se possível a paz com essa pessoa, quando não possível, siga em frente, se perdoe e viva. Porque como eu disse, as vezes a pessoa que te feriu não está interessada em admitir que errou, nem em andar com você, e se ela ficar do seu lado, sempre haverá um momento onde ela vai lembrar os erros, as mágoas, as coisas ruins e isso é um cativeiro, isso é um modo muito doloroso de manter alguém aprisionado a você por culpa. Conviver com uma pessoa que errou com você uma vez, sem querer, por um deslise impensado, é mais plausível, quando seu perdão for genuíno, e o dela também, queridos, houve perdão genuíno, tudo é possível, o que não pode é você dizer que perdoou e olhar pra pessoa e sentir o ímpeto de desejar ela mal, acontece, e não é anormal.
O perdão liberta a gente de mágoas, isso quer dizer que lembraremos dos fatos, sem sentir dor. Lembraremos das palavras, sem querer chorar, o perdão permite que lembranças dolorosas de serem tocadas, se tornem lugares transitáveis na sua mente, com naturalidade, assim como uma lembrança comum de um passeio num parque tomando sorvete. Perdoar por que alguém lhe faz falta é o natural, aceitável, saudável, recomendável, mas eu sempre alerto, observe o comportamento dessa pessoa, que bem faz a gente estar perto de alguém, que sempre comete o mesmo erro e a pessoa nunca faz um esforço pra mudar? Deixe essas questões entrarem na sua mente por um instante, não estou falando da pergunta: "E se ele/ela fizer de novo?" isso é outro papo, estou falando da pergunta: "Porque ele/ela faz sempre?" As vezes a pessoa tem os problemas muito profundos dela e ela vai sempre errar com você, refletindo nos problemas dela, e ela não admite mudança e como fica a sua vida? Uma montanha russa ao lado de alguém instável, que vive pisando em todas as suas bolas, uma pessoa que não leva em conta os seus sacrifícios pessoais em perdoá-la, uma pessoa que muitas vezes é agressiva de palavras, quando não muito, também em atitudes, e aí, você precisa colocar seu coração e sua cabeça pra pensar, que nem toda falta do mundo, será justificável perto de atrocidades. Nós não nascemos coloados a ninguém, não pertencemos a ninguém se não a Deus, aqueles que creem nisso. E não devemos ser escravos emocionais de ninguém, não se deixe aprisionar, nem por toda falta do mundo. Pra um relacionamento valer a pena, ele precisa ser mútuo, ele precisa ser de dois, precisa de fechamento. Sentir falta de pilantragem, não. Perdoar a pilantragem sim, é válido e saúdável. Eu acredito que o perdão precise ser praticado, sempre, mas que no entanto, em alguns casos, existem escolhas, de conviver ou não, o perdão não é um vínculo pessoal seu com outra pessoa, o perdão é um vínculo pessoal seu, com você mesmoe sua saúde mental e emocional. Pode ser praticado e deve ser praticado como atitudes de amor, mas cabe a análise. Infelizmente, algumas pessoas não nos deixarão amá-las, deve- se insistir? Não. Pege suas sementes de amor e semeie em terra fértil. Semeie em você mesmo. Perdão e paz consigo e com todos se possível, no caso de não ser possível, que sejamos sempre limpos de coração.

Tá respondido? Ficou dúvida? Perdoa eu!


Postar um comentário