13 de janeiro de 2015

Carnaval

É o terceiro dia sem café e estou com as mãos nas têmporas. Preciso de café. Ter preocupações em cima de preocupações me faz querer um calmante, e depois um café. Tudo bem descobrir que tem um caroço no pescoço. Descobrir que não é nada demais é melhor, ter que fazer uma cirurgia, nada tranquilizador, saber que o carnaval está chegando com minha folga, me parece bom. Tudo bem estar magra, atualizando: 56kg muito bem distribuídos em 1.67 de altura. Mas ser colocada numa prateleira por causa disso, não é legal. Na frase do filósofo: "cada um no seu quadrado, ado, aaado, cada um no seu quadrado". Fiquei na dúvida. Percebi que apesar de ser bonita e inteligente, isso não basta. Tem que ser paniquete e oca, não que as paniquetes sejam ocas.  O que os homens querem afinal? Onde estão os homens que apreciam MULHERES? Onde eles moram? Como se alimentam? Posso fazer um apelo pro globo repórter? Preciso de cafeína. E também de vergonha na cara porque eu pareço ser o único ser "unânime" que se importa. Então alguém é diferente e eu tenho uma caixa de coisas diferentes onde deposito as pessoas. Bacana. Tudo bem, meu quadrado é independente, rico, e toca Beyoncé, 7/11. Chora mundo. E o drama?! Ah, os homens hoje em dia parecem... mulheres. Eles querem discutir a relação e nos perguntam se estão com olheiras muito grandes e, e eles querem o inimaginável e perfeito em relação a nós, meras mortais. Não basta ter carreira, não basta ser bem sucedida, bem vestida, bem educada, não basta lavar cuecas, tem que ser uma deusa. E não apenas uma deusa, mas a deusa favorita no Olimpo, aquela que nem Zeus contraria. Queridas mulheres, a culpa não é das estrelas. A culpa é nossa. Eles estão deslocados porque nós assumimos nossas posições de rainhas abolicionistas. Desde a princesa Isabel, todas queremos fazer coisas e marcar nossa história, e no final?! É tudo política. Por falar em política, a França se levantou pra protestar e o brasileiro é capaz de sentar, assistir todas as denúncias de corrupção e só se importar em dar boa noite pro repórter quando o fantástico acaba. Vivemos num mundo babaca, cheio de pessoas babacas. Ou é só nesse país?! 7milhões de reais em corrupção. A saúde e a educação de um país inteiro, arruinados. Mas vamos fazer carnaval. Whisky e cerveja pra matar a tristeza e a solidão, vodka, e chama o garçom. Mas o carnaval está aí. Corpos suados e uma noite de prazer, no domingo a casa vazia. Que desgosto hein?! Ser mais um normal na multidão. Mas está chegando o carnaval e somos todos um povinho "filiz". E eu vou tomar um café antes que eu comece a falar demais, porque eu ainda nem comecei.
Postar um comentário